terça-feira, 27 de outubro de 2009

Campanha de combate ao câncer de pênis

Não lavar o pênis diariamente pode causar muitas doenças. Entre a cabeça do pênis (glande) e a pele (prepúcio) é produzida uma gordura, ou sebo, branco, chamado esmegma que deve ser limpo todos os dias, pois pode causar mau cheiro e facilitar o aparecimento de doenças e infecções. Uma das doenças que pode aparecer é o câncer no pênis. É verdade, não lavar o pênis pode causar um tumor maligno muito agressivo e que muitas vezes é necessário cortar fora parte ou o pênis inteiramente. No Brasil, anualmente, 1.000 homens perdem seu órgão sexual por causa disso.

A estimativa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) é que mais de três mil homens tenham a doença, que pode ser evitada de maneira muito simples: higiene genital adequada. Lavar o pênis é muito simples e deve ser feito todos os dias. Lave com água e sabão e não esqueça de puxar a pele para trás para lavar a cabeça do pênis (glande).

O câncer de pênis é uma doença que mutila o homem, tanto na parte física, quanto na alma. São mil amputações por ano no país. Apesar disso, é um dos cânceres mais evitáveis que existe no mundo. É associado à falta de higiene na área genital”, esclareceu o médico Aguinaldo Nardi, coordenador de campanhas públicas da SBU.

De acordo com dados levantados pela SBU o estado de São Paulo, maior população do país, com 40 milhões de habitantes, é o que também concentra o maior índice de casos: 24,26%. Em seguida, vem o Ceará, com 12,87%, Maranhão com 10,66% e Rio de Janeiro, com 9,19%. A Bahia ocupa o 12º lugar no ranking com 1,10% dos casos. O que mais assusta os profissionais da SBU não é ter São Paulo, com mais de 40 milhões de habitantes em primeiro lugar, mas sim ter Ceará e Maranhão, que juntos têm um pouco mais de 1/4 dos paulistanos, em segundo e terceiro lugares.

Se olharmos as estatísticas, veremos que, em números, São Paulo está em primeiro lugar, mas quando se verifica a naturalidade dessas pessoas, curiosamente percebemos que a maior parte delas vem de cidades do interior do Maranhão, Ceará, Pernambuco, Bahia, Pará e Minas Gerais”, diz o presidente da SBU, Dr. Sidney Glina.

Dados levantados pelo Data/SUS nos últimos cinco anos ratificam a pesquisa da SBU ao mostrar que a amputação do órgão – medida tomada quando a doença é grave – tem aumentado cerca de 10% ao ano. Este número leva a entidade a acreditar que o país esteja em segundo lugar no ranking mundial da doença, atrás apenas da Índia, país com a maior incidência mundial, com taxas de 3,32 casos a cada 100 mil habitantes

Sempre que você notar qualquer coisa diferente no seu pênis, uma ferida ou ferimentos que não cicatrizam mesmo após tratamento médico; caroços que não desaparecem, mesmo após tratamento, e que apresentam secreções e mau cheiro; vermelhidão ou coceira duradoura na cabeça do pênis (glande), especialmente nos homens cuja pele do pênis (prepúcio) é excessiva, a popular fimose; manchas esbranquiçadas ou perda de pigmentação em áreas do pênis; surgimento de tumores no pênis ou na virilha (íngua); uma bolha qualquer, corrimento ou tiver ardor na hora de urinar, procure logo um médico e não faça sexo até ter certeza que não tenha a doença. Não use pomadas ou remédios caseiros. Vá ao médico mesmo que a ferida desapareça sozinha. Não tenha medo, pois se for descoberto no começo, o câncer de pênis pode ser facilmente tratado e as chances de cura do paciente são bem grandes.

Doenças venéreas ou sexualmente transmitidas, que são pegas quando se faz sexo aumentam a chance de se ter um tumor. Por isto use camisinha quando fizer sexo com muitas parceiras ou muitos parceiros. Não é difícil evitar essas doenças. É só usar camisinha nas relações sexuais e no caso do câncer de pênis, lavar com água e bastante sabão diariamente! (Fonte: Sociedade Brasileira de Urologia)
VÍDEO DA CAMPANHA
video
*
Imagem: Cartaz da campanha promovida pela SBU

Nenhum comentário: